terça-feira, 4 de agosto de 2009

A ORIGEM E QUEDA DE SATANÁS

INTRODUÇÃO
Um dos maiores mistérios bíblicos é a queda de Satanás. Nunca no universo houve, há ou haverá traição maior que a cometida por Satanás. Não vemos na Bíblia muitas explicações detalhadas a respeito deste assunto, até mesmo pelo fato deste não ser o assunto fim da Bíblia. A Palavra de Deus tem um outro intuito para o homem, e ela fala sobre Satanás para nos alertar a respeito de um inimigo que existe e é mais real do que possamos imaginar.

Durante muitos e muitos séculos homens vêm negando a existência do inimigo bíblico, da maneira como é narrado pelo cristianismo. Muitos crêem que ele é um espírito de luz (por incrível que se pareça), outros o chamam de pai (mais conhecidos como satanistas), e outros simplesmente negam a sua existência. Dentre várias visões a seu respeito, seja qualquer uma dessas mostradas acima,ou todas as outras divergentes da Bíblia, acabam por abrir uma brecha muito grande na vida do homem para a atuação do inimigo. Afinal, quando desacreditamos na existência de um inimigo, ou quando consideramos um inimigo como sendo amigo, deixamos que ele faça o que quiser em nossas vidas, e nos leve para onde quiser.


A LINHAGEM DE SATANÁS


De Isaías 14 e Ezequiel 28 emerge um quadro relativamente extenso de Satanás antes de sua rebelião.
Sua pessoa: Ele foi o ser mais exaltado de toda a criação (Ez 28.13,15), a mais grandiosa das obras de Deus, um ser celestial radiante, que refletia da maneira mais perfeita o esplendor de seu Criador. Assim, ele apropriadamente era chamado de Lúcifer. Essa palavra vem de uma raiz hebraica que significa “brilhar”, sendo usada unicamente como título para referir-se à estrela de maior brilho e cujo resplendor mais resiste ao nascimento do Sol. O nome Lúcifer tornou-se amplamente usado como título para Satanás antes de sua rebelião porque é o equivalente latino dessa palavra. Na realidade, é difícil saber com certeza se o termo foi empregado com o sentido de nome próprio ou de expressão descritiva.
Seu lugar: Ezequiel afirmou que esse anjo exaltado estava “no Éden, jardim de Deus” (Ez 28.13). Aqui, a referência não é ao Éden terreno que Satanás invadiu para tentar a humanidade, mas à sala do trono em que Deus habita em absoluta majestade e perfeita pureza (veja Is 6; Ez 1). Ezequiel 28 também chama esse lugar de “monte santo de Deus”, onde Lúcifer andava “no brilho das pedras” (v. 14). Essas descrições não são apropriadas ao Éden terreno, mas adequadas à sala do trono de Deus, conforme representações em outros lugares da Escritura.Sua posição: Satanás é denominado “querubim da guarda ungido” (Ez 28.14). Querubins representam a mais alta graduação da autoridade angélica, sendo seu papel guardar simbolicamente o trono de Deus (compare os querubins esculpidos flanqueando a arca da aliança – o trono de Javé – no Tabernáculo ou Templo, Êx 25.18-22; Hb 9.5; cf. Gn 3.24; Ez 10.1-22). Lúcifer foi ungido (consagrado) por sentença deliberada de Deus (Ez 28.14: “te estabeleci”) para a tarefa indizivelmente santa de guardar o trono do todo-glorioso Criador. Ele é descrito como sendo dotado de beleza inigualável, vestido de luz radiante, equipado com sabedoria e capacidade ilimitadas, mas também criado com o poder de tomar decisões morais reais. Portanto, a obrigação moral mais básica de Satanás era a de permanecer leal a Deus, de lembrar sempre que, independentemente de quão elevada fosse a sua posição, seu estado era o de um ser criado.


A QUEDA DE SATANÁS


Neste ponto, encontramo-nos diante de um dos mais profundos mistérios do universo moral, conforme revelado nas Escrituras: “Como é que o pecado entrou no universo?” Está claro que a entrada do pecado tem conexão com a rebelião de Satanás. Mas, como foi que o impulso perverso surgiu no coração de alguém criado por um Deus perfeitamente santo? Diante de tal enigma, temos de reconhecer que as coisas encobertas de fato pertencem a Deus; as reveladas, no entanto, pertencem a nós (Dt 29.29). E três dessas realidades claramente reveladas merecem ser enfatizadas:
Primeiro: a queda de Lúcifer foi resultado de sua insondável e pervertida determinação de usurpar a glória que pertence unicamente a Deus. Esse fato é explicitado em uma série de cinco afirmações que empregam verbos na primeira pessoa do singular, conforme registradas em Isaías 14.13-14. Nisto consiste a essência do pecado: o desejo e a determinação de viver como se a criatura fosse mais importante que o Criador.
Segundo: Satanás é inteira e exclusivamente responsável por sua escolha perversa. Nisso existe uma dimensão inescrutável. Alguns têm argumentado que Deus deve ter Sua parcela de responsabilidade por este (e todo outro) crime, porque, caso fosse de Seu desejo, poderia ter criado um mundo em que tal rebelião fosse impossível. Outros dizem que, se Deus tivesse criado um mundo em que apenas se pudesse fazer o que o seu Criador quisesse, nele não poderiam ser incluídos agentes morais feitos à imagem de Deus, dotados da capacidade de tomar decisões reais – e, conseqüentemente, de escolher adorar e amar a Deus. Há verdade nessa observação, mas também há mistério. O relato deixa claro que o orgulho fez com que Lúcifer caísse numa terrível armadilha (Is 14.13-14; Ez 28.17; cf. 1 Tm 3.6), mas nada explica como tal orgulho de perdição pode surgir no coração de uma criatura de Deus não caída e perfeita.
No entanto, não há mistério quanto ao fato de que Satanás é, totalmente e com justiça, responsável pelo seu crime. Ezequiel 28.15 afirma explicitamente que Lúcifer era perfeito desde o dia em que foi criado, “até que se achou iniqüidade em ti”. A culpabilidade moral é dele, e apenas dele. Na verdade, em toda sua extensão, a Bíblia afirma que Deus governa soberanamente o universo moral e controla todas as coisas – inclusive a maldade de homens e anjos – para que correspondam aos seus perfeitos propósitos. Mas ela também ensina que Deus não deve e não será responsabilizado por essa maldade, em qualquer sentido.
Tudo isso pode parecer contraditório, mas não há, na verdade, contradição alguma. Entenda que Deus é soberano sobre todas as coisas, logo, Ele não permite que o mal saia do controle (do contrário, tudo já haveria sido destruído, tendo em vista a falta de limites para o mal), Ele é onisciente, ou seja, tudo o que acontecerá Ele já conhece de antemão, mas ainda que Ele conheça tudo o que acontecerá e permita que a liberdade individual seja exercida, isso não o torna culpado pelos pecados, tanto de Satanás e seus demônios, como dos homens.
Em resumo, o fato do livre-arbítrio é proveniente de Deus, mas os atos do livre-arbítrio são de responsabilidade daqueles que os praticam. O que isso quer dizer? Satanás, desde o início, gozou de liberdade, em todos os aspectos, mas ele sempre teve responsabilidade sobre essa liberdade recebida do seu Criador. Em seu livro "Eleitos, mas livres", Norman Geisler usa a seguinte ilustração: o governo te dá uma habilitação para dirigir livremente por onde você quiser. O governo não intervém nos tragetos que você quiser seguir. Mas se por algum motivo você resolve fazer atrocidades no trânsito, quem deverá ser penalisado? Você ou o governo? Esse é o mesmo princípio a ser aplicado na questão da queda de Lúcifer, ele tinha a liberdade, e Deus não pode ser culpado pelos atos dele, mas ele deve pagar por sua escolha moral.
Finalmente, por causa de sua rebelião, Satanás tornou-se o arquiinimigo dos planos de Deus e de tudo o que é divino. Sua queda – bem como a dos espíritos que se uniram a ele – é irreversível; não há esperança de redenção. Satanás foi privado da comunhão com o Deus Santo de forma final e irrecuperável. Para ser exato, Satanás ainda tem acesso à sala judicial do trono do Universo por causa de seu papel de acusador dos irmãos, papel este que lhe foi designado divinamente (Jó 1 e 2; Zc 3; Lc 22.31; Ap 12.10). Tal acesso, no entanto, é destituído da comunhão com Deus ou da Sua aceitação. Devido à sua traição, que foi a mais terrível na história do cosmo, Satanás e seus anjos somente podem esperar a condenação e a punição eternas (Mt 25.41).
Texto Base de Douglas Bookman - Israel My Glory - http://www.chamada.com.br/
Edição final para o Atalaia de Sião: Rafael  S. Gomes
Publicado anteriormente na revista Chamada da Meia-Noite, setembro de 2002.

7 comentários:

  1. O antigo testamento fala de Deus,mas antes do homem ha bitar o mundo deus anuncia a vinda do Seu Filho Jesus Cristo. Com quem Deus esta falando,qual o versículo, esta em Gênesis

    ResponderExcluir
  2. Olá Rony, a paz do Senhor!!
    Na verdade, antes que o homem habitasse a Terra (Gênesis 2.8) não houve mensão ao nome de Jesus, nem mesmo à sua vinda à Terra, e nem mesmo ao plano de salvação. Na verdade, a primeira mensão a respeito de Jesus é feita na queda do homem (Gênesis 3.15), mostrando que a partir dali Deus interviria na salvação do homem, apresentando, de pronto, um caminho para a redenção da humanidade.
    Com relação a com quem Deus estava falando na criação, a resposta é: era a Trindade em comunicação. Na verdade, em Gênesis 1.26 encontra-se o primeiro registro da Trindade, com a expressão "façamos o homem à nossa imagem e semelhança". Nesse momento vemos a fala entre o Pai, o Filho e o Espírito Santo, a manifestação maravilhosa do Deus tri-uno.
    Espero que a sua dúvida tenha sido sanada!
    Qualquer outra pergunta é só mandar!
    Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  3. Em gênesis 3.15. E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente :esta te ferirá a cabeça e tu lhe feriras o calcanhar.(E porei inimizade entre ti e a mulher) Deus esta falando para Quem? A serpente, quem é a serpente o diabo.(entre a tua semente e a sua semente:esta te ferirá a cabeça)Quem vira da sua semente e tera o poder de pinar na cabeça da serpente? Jesus Cristo
    A confirmação se encontra em Salmos 132,11 Isaias 7:14, Mateus 1,23.
    Mateus 1.23 Diz: Eis que a virgem conceberá e dará á luz um filho, e chamá-lo-ão pelo nome de Emanuel, que tradudizo é Deus Conosco.
    Então antes da criação do homem Deus anunciou a vinda do seu Filho Jesus Cristo

    ResponderExcluir
  4. Tio,

    Complementando os comentários acima, Deus não anuncia a vinda de Jesus antes da criação do homem. Se observarmos o versículo citado acima juntamente com o comentário que você colocou, ele diz: "Em gênesis 3.15. E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente :esta te ferirá a cabeça e tu lhe feriras o calcanhar.(E porei inimizade entre ti e a mulher) Deus esta falando para Quem? A serpente, quem é a serpente o diabo.(entre a tua semente e a sua semente:esta te ferirá a cabeça)Quem vira da sua semente e tera o poder de pinar na cabeça da serpente? Jesus Cristo" e depois você fala: "Então antes da criação do homem Deus anunciou a vinda do seu Filho Jesus Cristo".
    Se repararmos, esse versículo está escrito depois da criação do homem, pois a criação do homem é citada em Genesis 1.26 e o versículo com o anúncio da vinda de Cristo está em Genesis 3.15, então na verdade Deus não anuncia a vinda de Jesus antes da criação do homem e sim depois da criação e sua queda, até porque Jesus veio para morrer por nossos pecados, para pagar na cruz o que nós pagaríamos, Deus não anuncia a vinda de Jesus antes da criação do homem, pois Jesus veio para nos libertar, nos salvar, pagar na cruz o preço por nossos pecado e o anúncio de Sua vinda foi feito depois que o homem pecou. A criação do homem está em Genesis 1.26 e o anúncio da vinda de Jesus em Genesis 3.15.

    OBS: Caso queira conversar mais a respeito, esse espaço de comentários é justamente para isso.

    Que Deus nos abençoe cada dia mais.

    ResponderExcluir
  5. "Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos; Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.[...]
    Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido." (1 Corintios 13.9,10 e 12)

    A própria Palavra de Deus nos diz que nós conhecemos em parte, e não é possível ter conhecimento total pois ainda vemos pelos olhos limitados da matéria. Mas chegará o dia em que conheceremos completamente, assim como somos conhecidos, e o que é imperfeito será aniquilado para dar lugar à perfeição. Não teremos mais o conhecimento limitado, mas conheceremos os grandes mistérios face a face.
    É nessa certeza que escrevo este comentário em resposta ao que foi postado por um "Anônimo": Se Deus é onisciente então por que Ele criou Lúcifer, se sabia que ele iria cair e causar tantos males?"; Em outras palavras, é o velho questionamento de sempre: "Se Deus existe então por que coisas ruíns acontecem todos os dias?"
    Queridos o mal muitas vezes é usado para desabonar a crença em um Deus Bom, Perfeito, Justo e Todo-Poderoso, mas eu parto de um ponto contrário a essa visão. Na minha opinião o mal deve ser um dos pontos que me leve a crer nesse Deus maravilhoso.
    O mal não conhece limites, não têm escrúpulos e nem respeito por ninguém. Se o mal é assim tão cruel, como pode não ter posto fim a todas as coisas? Pelo simples fato de que Deus está no controle de todas as coisas, inclusive do mal, pois este está sujeito à soberania de Deus.

    ResponderExcluir
  6. [continuação]
    Um outro ponto intrigante e que sempre gera questionamentos é o que originou a pergunta do "Anônimo"; por que Deus criou Lúcifer, se sabia que ele iria cair?
    Não é possível darmos uma resposta completa para essa pergunta, pois a Bíblia não nos revela o motivo, logo, não foi dado ao homem conhecer, porém, a partir do que as escrituras nos revelam podemos pensar sobre a questão.
    Deus na Sua onisciência criou Lúcifer, um anjo de luz, não para a queda, mas para habitar na glória. O problema é que as pessoas quando fazem esse questionamento invertem a ordem. A culpa da queda de Lúcifer não é de Deus, mas dele mesmo, foi ele quem desejou dominar o trono de Deus se rebelando contra o seu criador. Da mesma forma ocorreu com o homem; foi o homem quem escolheu o caminho da desobediência, e não Deus. Muitas vezes as pessoas querem culpar a Deus pelos males do mundo, quando na verdade Ele sempre nos chamou à obediência, mas pela desobediência (pecado) do homem o mal entra e causa destruição.
    Duas palavras determinam muito bem o porquê Deus criou todas as coisas, inclusive Lúcifer: Amor e Soberania.
    Deus amou a Sua criação, por isso a criou, inclusive Lúcifer. Não deixamos de ter filhos por conta do que ele pode vir a ser quando crescer. Deus agiu da mesma forma, Ele não deixou de criá-lo, mesmo sabendo que ele cairia. Deus preferiu exercer Seu amor criando aquele ser angelical com todo o explendor com que fora criado.
    A outra palavra, soberania, nos diz que Deus pode fazer tudo porque acima dEle não há outro, logo, Ele é o padrão. Deus o criou porque Ele é soberano, e se não conhecemos todos os Seus desígnios não nos cabe questioná-lo. Jó caiu nesse erro, tentando questionar Deus, mas no fim Deus mostrou a Jó que ele não era nada diante da soberania de Deus.
    Por fim, não posso deixar de citar a maior prova da onisciência de Deus, o plano de redenção para a sua criação. Desde antes da fundação do mundo o Senhor já havia estabelecido um plano de redenção para toda a humanidade, e por conseguinte, toda a criação, e esse plano foi consumado com a vinda do Seu Filho Unigênito, Jesus Cristo, e este mesmo esteve entre nós uma vez, mas retornará para pôr fim aquilo que é parcial, então, aqueles que estão em Cristo conhecerão o que é perfeito, e verão face a face aquEle que nos criou, e conheceram como são conhecidos, perfeitamente, e então compreenderemos os mistérios mais profundos e ocultos. Naquele grande Dia, o Dia da volta do Senhor Jesus será também Dia de revelação.
    Espero ter sido claro o suficiente para elucidar pelo menos uma parte do questionamento.
    Mas não adianta apenas questionar, antes, temos de crer, pois sem fé é impossível agradar a Deus, e sem a mente de Cristo é impossível discernir as coisas espirituais. Por isso os homens estão perdidos, pois não pensam com a mente de Cristo, mas querem conhecer as verdades espirituais por seus próprios esforços.
    Fiquem na Paz de Cristo.

    ResponderExcluir
  7. Ana Franco anitta.costa.franko@hotmail.co.uksexta-feira, 13 de maio de 2011 13:24:00 GMT-7

    Lembremos sempre que a palavra "pecado" esta intrinsicamente ligada a pessoa de satanas, ou seja, antes dele nao havia pecado. Mas o que a Biblia nos ensina acerca do pecado? Nos diz que e a transgressao da Lei (Rm 4:15). Nao esta escrito de forma explicita em Genesis mas vejam aqui uma grande coincidencia, em Genesis 2:3 Deus fala da santificacao do setimo dia por exemplo e esta citacao volta mais tarde em forma de mandamento explicito no monte Siao, enfim podemos perceber que Deus havia dado suas Leis aos Santo casal (Gn 2:17)... e Eva desobedeceu e o pecado estabeleceu seu reino na terra. Se analisarmos bem a luz da biblia, o que significa transgressao da Lei de Deus? Nao comer do fruto proibido somente? Nao creio... inclusive nao creio que essa era uma lei, penso que era um alerta... Eles ja teriam sido advertidos acerca de Satanas, senao nao teriam sido exortados a andarem sempre juntos e nao comerem da arvore da ciencia do bem e do mal... somente comendo deste fruto sentiriam na pele o preco do mal conduzido por Satanas (Gn3:5). Se prestarmos bastante atencao, ainda em Genesis, quando o pecado entrou na terra nao havia morte... isso era algo desconhecido para o casal... entao Deus para cobrir-lhes a vergonha (pecado) fez para eles roupas de peles(Gn3:21), opa! Perai... entao sera que a primeira morte do Eden nao representaria o sacrificio de Cristo na cruz?... primeiro animal sacrificado para 'cobrir' a vergonha da nudez, que so foi percebida pq perderam a pureza, ou seja o pecado e a morte entraram em suas vidas (Gn 3:10-11)... Cristo foi o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo... mas como? em Romanos 6:23 lemos que o salario do pecado e a morte, logo percebemos que sem sangue nao ha remissao do pecado... alguem precisou derramar seu sangue para justificar a raca caida, assim como a nudez do casal exigiu uma morte para cobrir-lhes. A Biblia e um livro inteligente e nos somos muito limitados. Deus nao poderia ter escrito detalhe por detalhe e, era bem capaz de assim mesmo ainda duvidarmos, mas o entendimento se da pela interpretacao logica. Deus e um Deus de ordem, de logica e de inteligencia. A Biblia e a historia da salvacao do homem, do inicio ao fim e isso e por si motivo de gloria e regozijo em nome do nosso criador! Logo, se junto estas pecas, com todas as informacoes adicionais da propria Biblia, entao concluo que Satanas transgrediu a Lei de Deus, enquanto ainda estava no ceu... logo, Cristo veio para redimir e pagar o pecado da transgressao, Ele mesmo disse acerca da Lei do Pai, nao vim para destruir, mas para cumprir a Lei (Mt 5:17), logo se nao entendemos quais sao as leis de Deus de nada valeu o sacrificio de Cristo para nos e Satanas permanece sendo o rei de nossa caminhada, mesmo que pensemos estar certos, muitas vezes estamos num perfeito emaranhado de crencas humanas criado pelo proprio Satanas e que e tao parecido com a verdade que engana ate mesmo os eleitos de Deus. Nao confundamos lei por lei, mas sim tentemos entender o que Cristo fez ao "resumir" os mandamentos (porque toda a Palavra esta em torno disso): Amar a Deus sobre todas as coisas (Ex 20:3-11) e ao proximo como a ti mesmo (Ex 20:12-17). Se conhecermos e amarmos o Deus de amor que temos, nao seremos como os fariseus, mas seremos sim como filhos bons e obedientes que esperam e merecem o grande premio, o galardao da vida eterna ao lado do nosso Salvador!
    Vem logo Senhor Jesus!!

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário. Ficaremos felizes em poder contar com a sua opinião.