domingo, 15 de maio de 2011

ELEGENDO UM "APÓSTOLO"

No livro de Atos dos Apóstolos (1.15 em diante), vemos o processo de seleção de Matias, o homem que seria contado entre os onzes discípulos, ocupando o lugar vago "deixado" por Judas Iscariotes.


Em primeiro lugar Pedro reúne toda a igreja, depois cita pelo menos uns quatro trechos das Escrituras (Sl 41.9, 69.25, 109.8 e Zc 11.12), fazendo uma aplicação de tudo o que tinha ocorrido, contextualizando os fatos com a Palavra. Pedro também estabelece o critério, tal homem devia ter convivido com Jesus "desde o batismo de João até ao dia em que de entre nós foi recebido em cima" (At 1.22).




Me questiono se a igreja evangélica pós-moderna seguiria hoje os mesmos princípios e valores dos primeiros cristãos. Eu penso que não.


Posso afirmar que há tempos que "o mundo entrou na igreja", e olha que não estou falando do brinco ou da tatuagem, nem mesmo da bateria ou da calça jeans.


Você há de concordar que os nossos critérios estão cada vez mais enxarcados de técnica, de profissionalismo e, infelizmente, cada vez menos fundamentados em princípios e valores espirituais. Vemos cada vez mais a politicagem, o jogo de interesses e a guerra de vaidades em nosso meio. Repito, infelizmente.


Assim, me arrisco, ironicamente, a apontar alguns prováveis nomes em uma hipotética nova eleição de um discípulo (ou apóstolo) no lugar do Judas Iscariotes:


01 - O Jovem Rico (Lc 18.18) - Sem sombra de dúvida um forte candidato! Dinheiro hoje é sinônimo de sucesso. Não podemos deixar aquele irmão "rico" sem "cargo" na nossa instituição não é mesmo? Já aquele outro irmãozinho "pobre e miserável" não pode ser capaz de liderar pessoas.


Que grande inversão de valores. Essa seria uma indicação típica da igreja de Laodicéia "Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nú." (Ap 3.17)


02 - Barrabás (Mt 27.16) - Uma figura tão aclamada! tão bem recebida pelo povo! Quem não gostaria hoje de ser visto ao lado de Barrabás? Ser seu amigo significa ser influente, ser "importante". Se o que ele faz é ético ou não, isso não importa, não vem ao caso, não podemos julgá-lo. Mas que preciso aparecer um pouco mais ao lado desta figura preciso! Principalmente se não quero me "sujar" com as multidões, preciso usar um meio de ser simpático a elas, Barrabás é a pessoa certa pra aproximar a minha imagem do povo!


Nada que Tiago já não tenho predito "não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus" (Tg 4.4)


Deixo o restante da lista para a criatividade ácida dos queridos leitores...


Mas uma coisa é certa, O cara tem que ser tão bom quanto Judas Iscariotes foi ou melhor, pois uma pessoa com tanta organização e com tanta habilidade com números vai fazer muita falta no cumprimento da "missão da igreja" (tudo com letra minúscula mesmo).


Mas glória à Deus "porque o SENHOR não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o SENHOR olha para o coração." (1Sm 16.7b)