terça-feira, 2 de outubro de 2012

O EVANGELHO, A PROSPERIDADE E A MORTE

Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto. 
João 12:24


Muitos pensam em nossos dias que a prosperidade está diretamente relacionada ao desfrutar de bênçãos nesta vida, mas na verdade, ao lermos essa fala de Jesus podemos compreender que a prosperidade está muito mais ligada à eternidade do que à vida temporal que temos neste mundo.
O conceito do que é ser próspero tem se perdido por conta da pregação massante da teologia da prosperidade, muito difundida em nossos dias por inúmeros pregadores. Essa visão errada faz com que as pessoas percam o foco no reino de Deus e passem a focar uma vida abastada nesta terra, cheia de deleites materiais e pobreza espiritual. Jesus não falou nada disso! O foco da Palavra de Deus não está nisso.
Entenda que não estou falando contra os ricos, e financeiramente favorecidos. Não falo contra as pessoas que têm boas condições financeiras, pelo contrário, falo contra colocarmos o coração nas riquezas, achando serem elas o fim de nossas vidas.
Segundo Cristo, não é possível existir prosperidade sem que antes haja morte. É necessário morrer para ser próspero, verdadeiramente próspero.
O sentido de prosperidade está relacionado à manutenção de uma vida abundante, e não na riqueza exacerbada e sem propósito. Deus prospera o justo para que este não sinta falta de coisa alguma (Salmo 23.1), e assim possa desfrutar de uma vida plenamente abastecida pela providência de Deus. Talvez um dos melhores textos bíblicos para retratar a profundeza da providência de Deus seja o de Salmo 37.25, onde diz: "Fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua semente a mendigar o pão."
Mas além da visão material de prosperidade, o que a Palavra nos relata é algo metafísico, espiritual. Os frutos gerados pela morte são espirituais.
Os muitos frutos gerados por nossa morte estão relacionados a uma vida piedosa, cheia da manifestação do Espírito Santo em nosso interior. Os frutos gerados por uma vida após a morte são aqueles descritos em Gálatas 5.22. Esse texto nos mostra exatamente a prosperidade proveniente da morte citada por Cristo.
Jesus fala sobre frutos de transformação, pois a casca de uma vida mundana e pecaminosa é quebrada, permitindo que o Espírito produza seus frutos em nós. Dessa forma podemos desfrutar de uma prosperidade que não se apega a valores materiais, mas espirituais, pois assim seremos então cheios do Espírito Santo, permitindo-lhe transbordar em nós as riquezas da eternidade.
O "morrer" citado no texto de João 12.24 transmite a ideia de transformação, metamorfose, conversão. Essa morte é pontual, diária, presente a cada momento em nossas vidas. O Senhor tem prazer na morte dos Seus santos (Salmo 116.15), pois a partir dela os Seus santos são transformados, e passam a refletir mais de Sua Glória aqui na terra.
Quando compreendemos o real sentido da morte, segundo o evangelho do Senhor, podemos enxergar vida sendo gerada e não perdida. Quando compreendemos o verdadeiro sentido de prosperidade, segundo Jesus, vemos que prosperar é morrer para gerar frutos, e não viver para gerar lucros.
Na verdade, a prosperidade material é proveniente de uma prosperidade espiritual, que tem início na morte diária do servo de Deus.
Que Deus abençoe a sua vida! Fique na Paz!