quinta-feira, 18 de março de 2010

FIQUEM ATENTOS ÀS ARMADILHAS DA TV

Nestes últimos tempos, essas duas coisas têm causado grande confusão na mente das pessoas, embora com completamente distintos. O primeiro necessário e aprovado pela Bíblia; o segundo deveras reprovado pela sociedade e também pela Palavra de Deus. O problema consiste que às vezes as pessoas não conseguem diferenciar um do outro. Hoje em dia cada vez mais os "modismos" estão sendo aderidos, inclusive nas igrejas. "Se morrestes com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos sujeitais ainda a ordenanças, como se vivêsseis no mundo" (Cl 2.20) A televisão traz dia-a-dia a imoralidade e prática não saudáveis como normal para dentro de nossa casa, fazendo com que nossos filhos se acostumem cada vez mais a eles e não fiquem mais chocados quando vêem uma coisa dessas como na época de nossos pais.
Este silencioso vilão sorrateiramente vai condicionado a nova geração, dia após dia a conviver com a imoralidade e degradação ética.Geralmente o povo evangélico tem sido taxado como preconceituoso, mas essa não seria a palavra mais adequada. "Porque a nossa glória é esta: o testemunho da nossa consciência, de que em santidade e sinceridade de Deus, não em sabedoria carnal, mas na graça de Deus, temos vivido no mundo, e mormente em relação a vós". (II Co 1.12). Não devemos nos apegar a estas coisas, devemos sim transformá-las. "E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas" (II Co 5.17). Devemos amar o pecador, mas jamais aderir ao pecado. Jesus mesmo disse que veio para os doentes e não para os que estão sãos. Só que entre um e outro há uma diferença muito grande.
É também óbvio que não devemos atirar a primeira pedra, mas mesmo à mulher adúltera, Jesus mandou que ela fosse e não pecasse mais. Obviamente Deus é misericordioso com os pecadores, mas odeia o pecado, pois a maravilhosa graça de Deus é transformadora. "Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que abunde a graça? De modo nenhum. Nós, que já morremos para o pecado, como viveremos ainda nele?" (Rm 6.1,2). Não é que sejamos preconceituosos, mas não devemos aderir ao pecado ou achá-lo normal, antes de mais nada devemos combatê-lo. Toda vez que meu filho vê algo desse tipo na televisão e eu não consigo desligar a tempo, eu critico a atitude vista nela e meu marido reforça. Por mais que o mundo diga que essas coisas são normais, para a Bíblia não é e não pode ser para nós Cristãos também. "Todo aquele que vive habitualmente no pecado também vive na rebeldia, pois o pecado é rebeldia" (I Jo 3.4).
Deus é conservador, nem por isso é preconceituoso. E Ele jamais mudará a Sua Palavra principalmente só para satisfazer os desejos do coração ou da carne. "Pois qualquer que guardar toda a lei, mas tropeçar em um só ponto, tem-se tornado culpado de todos" (Tg 2.10). Assim mães e educadoras, atentem ao que seus filhos vêem na TV e jamais ceda a uma coisa "imoral" porque é bonitinho ou porque seu filho não tem maldade ainda. Lembre-se o maior intuito do inimigo é fazer com que seu filho se habitue com a imoralidade, para que mais tarde não se espante ou até seja adepto dela. "Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele". (Pv 22.6) Não tenha medo você não estará sendo preconceituosa, na verdade você estará apenas zelando pela moral e pelos bons costumes.
Não é que tenhamos que deixar de assistir televisão, mas temos que vigiar com o que estamos assistindo.