segunda-feira, 13 de agosto de 2018

O HOMEM E O VIVER PARA A GLÓRIA DE DEUS

Por Pr Rafael Gomes

Por amor do meu nome retardo a minha ira, e por causa do meu louvor me contenho para contigo, para que eu não te extermine. Por amor de mim, por amor de mim o faço; porque como seria profanado o meu nome? A minha glória não a darei a outrem [...] (Isaías 48.9-11)

Um dos assuntos menos falados hoje em dia é sobre a importância de vivermos para a glória de Deus. Isso se dá devido ao fato das pessoas quererem para si o destaque em todas as situações. A raiz disso está no pecado adâmico, lá no Éden, quando o homem intentou o ser como Deus, não à Sua imagem apenas (pois assim ele já o era), mas em majestade e poder, e conhecimento.

Uma das distorções geradas a partir da deficiência do conhecimento a respeito do amor de Deus por Sua própria glória é justamente o relacionamento 
Nossa carne milita contra qualquer ideia de sujeição a Deus. Nosso louvor, nossa oração, nossa devoção, nossa adoração, enfim, tudo o que fazemos para o Senhor precisa ser levado em sujeição a Ele, pois podemos incorrer no erro de glorificarmos a nós mesmos em lugar de Deus, afinal, herdamos isso do primeiro Adão.
Mas graças a Deus pelo segundo Adão, Cristo Jesus, aquele que opera em nós a mudança necessária para sermos feitos filhos, e reconhecermos a Deus como nosso Pai, e alvo de toda glória, honra e louvor.
Faça uma reflexão: o quanto você tem glorificado a Deus em sua vida? Os louvores que canta, tem falado mais da glória dEle, ou da sua necessidade de vencer? Suas orações têm servido para honrar ao Senhor cima de tudo, ou apenas como instrumento de petição?
Pense nisso, e busque viver a perspectiva de 1 Co 10.31, pois para isso fomos criados; não para nós mesmos, para a glória dEle!

Uma semana abençoada, em nome de Jesus!