quinta-feira, 17 de setembro de 2009

A DURA LEI DA GRAÇA

"Pois que? Pecaremos porque não estamos debaixo da lei, mas debaixo da graça? De modo nenhum." (Romanos 6.15)

Muitos crentes dizem que hoje nós não vivemos mais pela lei mosaica, e sim pela lei da graça. Isso é verdade? Sim, é claro que sim, mas até que ponto as pessoas estão compreendendo essa nova dimensão da lei de Deus?

Para começarmos o nosso raciocínio temos que entender o que significa a palvra "graça".
Ao analisarmos a palavra "graça" chegamos ao entendimento de que "graça" é um favor não merecido, ou seja, você não precisa fazer nada para merecer o que recebeu, você simplesmente recebe.

Nós recebemos de Deus a graça da salvação, estávamos entregues ao pecado e ao seu duro fardo, mas fomos redimidos por Cristo Jesus, e agora, mesmo que não sejamos merecedores, somos salvos por seu sangue, derramado lá no calvário.

Mas muitos pensam que a graça é mais branda do que a lei mosaica. Será mesmo verdade?! Por exemplo, a lei mosaica dizia "Não adulterarás" (Êxodo 20.14), já Jesus nos disse "Eu, porém, vos digo, que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela." (Mateus 5.28). Interessante isso não é?! Veja como Jesus é mais profundo no entendimento da lei do que os homens. E Ele continua dizendo: Portanto, se o teu olho direito te escandalizar, arranca-o e atira-o para longe de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno. (Mateus 5.29)

A graça não nos foi oferecida para que pudéssemos nos ver livres do pecado "pecando", mas para que fôssemos mortos para o reino do pecado, ou seja, deixando de lado toda uma vida, que outrora estava morta em pecado, para vivermos a novidade de vida que Cristo veio trazer. Paulo é bem explícito nessa questão em sua carta aos Gálatas, quando diz: "Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim." (Gálatas 2.20).

A lei mosaica simplesmente nos mostra o que na verdade somos. Quando um homem mente, ele não se torna um mentiroso, ele é um mentiroso, quando um homem rouba, na verdade ele não se torna um ladrão, ele é um ladrão, e assim por diante. Nós somos pecadores, e essa é a condição do homem. Por isso não há nada que possamos fazer para salvarmos a nós mesmos, somente Deus poderia fazê-lo por nós.
Mas a grande beleza de tudo isso é que Jesus é o fiel cumpridor da lei, Ele e somente Ele foi cumpridor de toda a lei, sendo capaz de morrer pelos nossos pecados e nos absolver da culpa.

"Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito." (Romanos 8.1)
Ainda que Ele seja o fiel cumpridor, o único justo sobre a face da Terra, não abriu mão receber sobre si a iniqüidade do mundo inteiro. Ele foi chamado de blasfemador, bandido, malfeitor, foi açoitado, foi crucificado, não por que merecia, mas por que optou por isso. Ele consumou na cruz o plano de salvação - "Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo" (João 1.29). Nos libertou de todo pecado, e nos tornou limpos, e por isso hoje somos justificados por Ele.

Portanto, ainda que a graça seja mais dura e mais profunda que a lei mosaica, o nosso Senhor Jesus está ao nosso lado. Ele nos ajuda na caminhada, e nos mostra como sermos fieis a Deus, em tudo o que fizermos. "Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus" (I Coríntios 10.31)

Que o nosso entendimento possa ser acrescentado a cada dia pelo Dono da Vida, o nosso Senhor, Rei e Salvador Jesus Cristo!