sexta-feira, 11 de março de 2011

O QUE TEMOS FEITO COM O PODER RECEBIDO?

“E veio outro, dizendo: Senhor, aqui está a tua mina, que guardei num lenço [...]”
(Lucas 19.12 - 26)

Eu fiquei intrigado com esse texto pela aplicação profunda que tem na vida cristã. Tamanho ensinamento Jesus nos traz nesta parábola; um homem distribui seu dinheiro entre três servos, e dois deles fazem prosperar as quantias recebidas, mas um deles negligencia, por conta do seu medo, aquilo que recebeu, e resolve guardar em um lenço o valor recebido.
Eu fico pensando quantas vezes o Senhor nos entrega algo nas mãos para fazermos e nós, por medo de termos que dar contas a Deus, não fazemos absolutamente nada com o que recebemos dEle.
Eu vejo essa mina como sendo o poder recebido do alto, como é dito lá no livro de Atos 1.8: “Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra”. Recebemos o poder do Espírito Santo para testemunharmos acerca das maravilhas do Reino, e o que fazemos muitas vezes é calar-nos por medo.
Aquele servo diz: “Tive medo, porque és um homem severo [..]”; e o seu senhor responde: “Eu o julgarei pelas suas próprias palavras, servo mau! Você sabia que sou homem severo, que tiro o que não pus e colho o que não semeei.”. E é justamente isso o que acontece quando nós permanecemos na inércia diante da obra do Senhor, mas o que não entendemos muitas vezes é que daremos contas fazendo ou não fazendo o que o Senhor pediu. Deus é severo em justiça e todos nós recebemos o chamado de sermos testemunhas dEle nesta terra. O que Ele diz é: “Negociai até que eu venha.”; portanto temos uma missão a cumprir.
O erro daquele servo mau foi achar que guardando o dinheiro do seu senhor, para devolvê-lo exatamente o que dele recebeu, já estaria de bom tamanho. Mas não é isso que Deus quer que façamos. Temos de fazer esse valor render, temos de fazer esse poder se manifestar ao mundo, temos que fazer o mundo conhecer a verdade, pois se não fizermos teremos de dar contas da mesma forma.
Repare que no texto todos vieram diante do senhor para dar conta do que haviam feito com o valor recebido. Todos receberam a mesma quantia, mas uns fizeram aquela quantia aumentar de tal modo que foi multiplicada por 10, outro por 5, e enfim, o último, por nada.
O que você tem feito com o poder recebido de Deus? Tem guardado contigo, de maneira tão bem guardada que os outros nem mesmo o vêem? Está esperando para devolver ao Senhor no dia em que Ele te pedir as contas? E o sangue que tem passado por nossas mãos sem que façamos nada também será cobrado, pois Ele nos capacitou a sermos Suas testemunhas, e levar o mundo ao conhecimento da verdade que liberta.
Veja que o senhor não diz para aquele servo que ele não é severo, pelo contrário, ele reafirma o que seu servo havia dito. Sabemos que Deus é justo e que no final requererá de nós, em juízo, os resultados do poder concedido.
Reflitamos sobre essa questão, e que nós possamos ser como aqueles servos que multiplicaram o valor recebido.
Que Deus abençoe a cada um de nós! Amém!