segunda-feira, 25 de maio de 2015

POR QUE O PASTOR DEVE PREGAR EXPOSITIVAMENTE?

Toda a Escritura é inspirada por Deus, é útil para ensinar, para repreender, para corrigir e para formar na justiça. Por ela, o homem de Deus se torna perfeito, capacitado para toda boa obra. 2 Timóteo 3.16,17

Por Pr. Rafael Gomes

Algo que tem se tornado raro em algumas igrejas atualmente é o modelo de pregação conhecida como "expositiva", tão usada no passado por pregadores como Charles Spurgeon, Jonathan Edwards, entre outros.
O que constatamos hoje em dia, é que parece haver um interesse muito maior em transformar o texto bíblico em um pretexto, para pregações direcionadas a um propósito específico. Não que isso seja completamente errado, no entanto, muitos pregadores têm enveredado por caminhos diferentes daqueles ensinados pelas Escrituras, no tocante ao comportamento do pastor enquanto pregador da palavra.
O texto de Paulo, direcionado ao jovem pastor Timóteo, mostra a importância que as Escrituras têm para a instrução do povo. Toda a autoridade provem dali (da Palavra), e não do púlpito, ainda que este seja estabelecido por Deus. Um pastor não tem autoridade de modificar o real sentido do texto bíblico, nem mesmo para adaptá-lo às suas perspectivas pessoais, mesmo que estas sejam as melhores possíveis.
Existe uma grande diferença entre "adaptar" e "contextualizar". Uma adaptação passa pela interpretação do texto, bem como pela sua modificação para atingir determinados fins. Exemplos como esses são vistos nos pregadores da Teologia da Prosperidade. Eles adaptam os textos bíblicos para atingirem objetivos escusos, no tocante ao enriquecimento, "bênçãos" desmesuradas, e por aí adiante.
Eles não têm autoridade para isso, não é legítimo o que fazem, e agem assim porque lhes falta o temor e a reverência, atributos estes tão necessários a um pregador genuíno do evangelho.
Já a contextualização do texto faz parte do ensino pastoral ao povo de Deus. Um pregador deve ser capaz de conhecer o texto, bem como o seu contexto, a fim de transmitir aos ouvintes, com propriedade, as minúcias do texto bíblico. Além disso, aplicar o texto à vida cotidiana é contextualizá-lo sem mudar a sua essência e conteúdo, e exige conhecimento prévio daquilo que é pregado à igreja.
Sendo assim, você que prega a Palavra de Deus, tenha em mente a responsabilidade que tem nas mãos. Você não é o autor da Palavra, e não pode mudar a obra do Autor para atingir objetivos próprios, ainda que sejam objetivos válidos. Se não está na Palavra, não acrescente; se está, não retire. Apenas pregue, pois quem faz a obra é o Espírito Santo.
Por fim, quero compartilhar um vídeo do Rev. Augustus Nicodemus Lopes, falando ao site voltemosaoevangelho.com, justamente sobre esse assunto.
Deus abençoe a sua vida!