segunda-feira, 24 de agosto de 2009

PODER DE UM CLAMOR

"E, tendo orado, moveu-se o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo, e anunciavam com ousadia a palavra de Deus." (Atos 4.31)
"E, perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos os escutavam. E de repente sobreveio um tão grande terremoto, que os alicerces do cárcere se moveram, e logo se abriram todas as portas, e foram soltas as prisões de todos." (Atos 16.25-26)

Entre muitas outras passagens da Palavra do Senhor, vemos essas duas, presentes no livro de Atos, que tratam sobre o clamor.
A Bíblia mostra vários relatos sobre o clamor, a oração elevada aos céus, mas se analisarmos essas duas passagens, poderemos tirar lições maravilhosas.
Nas duas situações os apóstolos passaram por grandes adversidades por pregarem o evangelho, na primeira, Pedro e João pregavam no templo, até que foram repreendidos pelos maiorais do povo e lançados na prisão, logo após sendo soltos, interrogados e liberados. Na segunda situação, temos Paulo e Silas presos também pelo evangelho.
Mas a Bíblia conta que os apóstolos clamaram a Deus, oraram, louvaram ao Senhor, que de pronto respondeu com poder. Na primeira situação houve derramamento do Espírito Santo, já na segunda houve libertação para os cativos.
Deus não fecha os ouvidos às orações de seus servos, pelo contrário, Ele está sempre pronto a nos ouvir (Salmos 40.1), devemos nos quebrantar diante dEle, e clamar com nossas forças, e o Senhor moverá céus e mares pelo clamor de seus servos.
Pedro e João foram cheios do Espírito Santos, e receberam de Deus a ousadia para pregarem a Palavra; Paulo e Silas foram libertos do cárcere e levaram a palavra ao carcereiro e a todos de sua casa. Podemos ver que nas duas situações houve libertação, houve provisão de Deus, houve manifestação do poder, e houve salvação.
O nosso clamor é usado como canal de bênçãos por Deus. Não deixe de clamar ao Altíssimo.