quinta-feira, 12 de julho de 2012

O HOMEM DE DEUS, O PROFETA VELHO E A MENTIRA

Porém o homem de Deus disse ao rei: Ainda que me desses metade da tua casa, não iria contigo, nem comeria pão nem beberia água neste lugar. Porque assim me ordenou o SENHOR pela sua palavra, dizendo: Não comerás pão nem beberás água; e não voltarás pelo caminho por onde vieste. [...]
E morava em Betel um velho profeta; e vieram seus filhos, e contaram-lhe tudo o que o homem de Deus fizera aquele dia em Betel, e as palavras que dissera ao rei; e as contaram a seu pai.
E ele lhe disse: Também eu sou profeta como tu, e um anjo me falou por ordem do SENHOR, dizendo: Faze-o voltar contigo à tua casa, para que coma pão e beba água (porém mentiu-lhe). 1 Reis 13.8-18

O capítulo 13 do livro de 1 Reis narra um fato ocorrido no reino de Jeroboão, que no momento reinava sobre as dez tribos do reino do norte (Israel). Deus levanta um homem (profeta) para levar uma mensagem a Jeroboão, tendo em vista os pecados que este cometia, além de levar o povo a cometer os mesmos atos pecaminosos. Jeroboão espalhou por todo o reino ídolos provenientes de outros povos, altares de sacrifícios a esses ídolos, além de cultos pagãos realizados a esses ídolos.
O Homem de Deus

Estando Jeroboão próximo a algum dos vários altares, chega o homem de Deus trazendo uma palavra pesada de destruição daquele reino, uma palavra profética para aquela nação. Este homem não se intimida diante do rei, pois ele tem a convicção de quem o enviou àquele lugar, o próprio Deus.
O homem de Deus profere a sentença e recusa-se a permanecer com o rei e comer de suas iguarias, e então vai de volta para a sua cidade em Judá.
Nós como cristãos, verdadeiros servos do Senhor devemos ser como este homem de Deus, convictos de quem nos enviou ao mundo, convictos de que a mensagem que levamos é poderosa, profética e verdadeira. O Senhor nos ordena que a levemos ao mundo, mas que não nos envolvamos nos cuidados deste mundo (Romanos 12.2), para que não sejamos contaminados pela mente deste mundo perdido.
A Igreja tem o papel de zelar pela mensagem profética, genuinamente bíblica, que denuncia o pecado e apresenta a liberdade conquistada por Cristo na cruz do calvário.
Infelizmente essa não tem sido a tônica de muitas comunidades cristãs. Estão sendo ludibriadas pelas coisas materiais deste tempo presente. Relacionam-se com as iguarias do rei deste tempo, a saber, Satanás, quando permitem-se buscar mais as bênçãos materiais (prosperidade, saúde, entre outros proveitos próprios) em detrimento da busca pelo conhecimento de Deus e de Sua Palavra maravilhosa.

O Profeta Velho

Ao calar-se diante do pecado, deixando de ser luz em meio às trevas, o crente torna-se como o profeta velho, citado nesta passagem.
Deus prefere usar um homem de fora do reino para trazer uma mensagem para aquele reino, em lugar de usar o profeta que existia naquele reino. Veja como isso é triste! Você já passou pela situação de ser substituído por alguém por conta de uma incapacidade sua, mas sabendo que você poderia cumprir tal tarefa? É, pois isso acontece com o velho profeta. Deus prefere não usá-lo, e em seu lugar traz um homem de fora para fazer o trabalho que deveria ser dele!
Mas há algo de errado com esse profeta velho! Ele se põe no caminho do homem de Deus e faz um papel deplorável; ele mente ao homem de Deus.
Aquele homem de Deus recebeu do Senhor uma tarefa bem simples: ele deveria ir a Jeroboão, proferir a palavra e retornar para sua terra sem comer, beber ou fazer qualquer outra coisa naquelas terras. Ainda tinha mais, ele não poderia retornar pelo mesmo caminho de onde veio, mas optar por um caminho diferente para Judá. E lendo a passagem acima fica bem claro que o homem de Deus estava convicto e firmado nas ordenanças que recebera de Deus, ele não iria vacilar na sua missão! Ou iria?
Bom, o que ocorre é que o profeta velho encontra com o homem de Deus pelo caminho e o convida a ir até sua casa para comer, beber e descansar, e então recebe como resposta uma negação por parte do homem de Deus. Mas o velho profeta não pára por aí. Ele diz: "Também sou profeta, assim como você!", e continua: "Um anjo do Senhor me disse para te convidar, e te fazer voltar comigo para que coma pão e beba água."
Que tremenda mentira! O velho profeta engana o homem de Deus, e o faz voltar ao caminho que não deveria, e isso levará o homem a ser morto por rebeldia às ordens de Deus!

A Mentira

Quando não ouvimos a Deus perdemos a visão profética, perdemos a capacidade de viver a verdade, perdemos a capacidade de resistir à mentira. Aquele profeta velho se coloca no caminho do homem de Deus para trazer perdição, destruição, morte. O seu dom de profecia tornou-se em palavras de morte e engano.
É por esse motivo que Deus não usa aquele velho profeta para falar ao reino do norte, pois ele já havia perdido a capacidade de ouvir o Senhor falar, já havia permitido que a mentira invadisse o seu coração.
É interessante perceber que ele se apresenta como profeta, mas no entanto, ele não age como tal. Na verdade o que ele carregava era apenas o título de profeta, e não a essência de profeta. Ele estava morto espiritualmente, e quem está morto não pode gerar vida, mas apenas morte.
Uma evidência para a sua morte espiritual é a sua postura diante do que Jeroboão faz ao povo, levando o mesmo à idolatria e total distanciamento de Deus. Ele se cala diante do pecado em que o povo mergulhava. Calar-se diante do pecado está diretamente ligado à morte do profeta!

Conclusão

A Igreja é a voz profética no Novo Testamento. Ela carrega a incumbência dessa responsabilidade até que Cristo volte.
Precisamos estar atentos à nossa vida espiritual a cada minuto de nossa existência. Com certeza aquele profeta não perdeu o discernimento de uma hora para outra, mas gradativamente, até que se achou vazio de Deus por completo, mas cheio de morte, engodo, mentira e cegueira espiritual.
Assim como não podemos correr o risco de sermos como o velho profeta, de igual modo não podemos correr o risco de tomar uma atitude como a daquele homem de Deus, quando este deu ouvidos aos enganos de Satanás através da vida do profeta velho.
Precisamos estar atentos, pois muitas vezes Satanás não nos ataca diretamente, mas usa pessoas ao nosso redor para nos fazer desviar da vontade de Deus. Assim foi com Pedro, quando deu ouvidos ao inimigo, e foi repreendido por Jesus (Marcos 8.33). Muitas vezes estamos revestidos pelo Senhor, e por esse motivo acabamos por achar que somos fortes (e de fato estamos, mas não por nós mesmos, mas pelo Senhor), mas pessoas ao redor podem estar fracas e serem usadas para nos atingir em cheio, nos fazendo cair pelo caminho.
Vigiar, esse é o segredo. Orar sem cessar, essa a chave para manter-se firme nos propósitos de Deus.

Que o Senhor nos ajude a manter o foco na Sua vontade e na Sua Palavra. Que Ele nos ajude e tenha misericórdia de nós! Fique na Paz!