quarta-feira, 28 de setembro de 2011

NÃO APRENDA A LIDERAR; APRENDA A SERVIR!


Na verdade, na verdade vos digo que não é o servo maior do que o seu senhor, nem o enviado maior do que aquele que o enviou. João 13.16

É engraçado (ou melhor, trágico) ver o comportamento de alguns cristãos contemporâneos em relação a ensinos básicos apresentados por Jesus. Na verdade, é triste ver que conceitos tão simples, e ao mesmo tempo tão profundos, como esse estampado no versículo acima, têm sido esquecidos (ou negligenciados) pelos crentes de hoje.
O princípio mais básico abordado pelas escrituras é o princípio do servo, e Jesus deixou esse preceito bem esclarecido ao dizer que "não é o servo maior do que o seu senhor". Esse conceito trata de humildade acima de tudo, e reconhecimento do que na verdade somos diante de Deus.

O grande problema enfrentado por todos nós é a luta contra o nosso próprio ego, é a luta contra o que pensamos ser, quando na verdade não somos. Na verdade, todo cristão é chamado a servir, e ter o mesmo sentimento que Cristo teve (Filipenses 2.5-8), o de servo, pois Ele mesmo disse que não veio para ser servido, mas para servir e fazer a vontade do Pai (Mateus 20.28; Marcos 10.45). Mas por que é tão difícil ser servo?!
O difícil na verdade não é o "ser", mas o "deixar de ser". Jesus, ao convidar-nos a segui-lo disse que devemos negar a nós mesmos e carregarmos cada um a sua cruz, ou seja, deixar de lado aquilo que pensamos ser, e viver da maneira como Deus quer que sejamos. Eis aí o desafio!
Esse convite soa como uma bomba dentro de nós, pois ninguém quer abrir mão dos seus planos, dos seus sonhos, da sua carreira, do sucesso, dinheiro, casa, carro, status, enfim, ninguém quer abrir mão, mas ainda assim querem seguir a Cristo (da maneira que der). A grande questão é que tudo isso que ostentamos nos afasta de Deus, pois todas essas coisas ocupam lugares em nossa vida, e só nos servem de enchimento para o ego. É por esse motivo que o homem natural nunca poderá seguir Jesus, pois para ele é impossível compreender esse chamado de Cristo, somente o Espírito de Deus pode nos ajudar a entender o mistério revelado pelas escrituras.
Diante de tudo isso se vê alguns buscando o aprimoramento da liderança, e é aí que eu quero me aprofundar. Como podemos pensar em liderança se não aprendemos a servir da maneira como devemos?
Muitos cristãos parecem ter uma ânsia por liderança. Vários e vários cursos para líderes ganham evidência, mas será que é isso o que Jesus idealizou para o seu corpo (igreja)? Ou será que na verdade Jesus quer que sejamos servos, e simplesmente SERVOS? Eu fico com a segunda opção!
Quero deixar claro que não sou contra aqueles que participam de cursos e congressos de liderança, encontros de líderes, enfim, a minha colocação não é para esses. Mas me coloco contra todo aquele que pensa que a vida cristã resume-se a manuais, apostilas e congressos, quando na verdade ela é muito mais que isso. Tudo isso na verdade deve vir em último lugar, dando prioridade a um conhecimento profundo do que somos diante de Deus: servos!
Queridos, nós não fomos chamados para sermos maiores que Jesus, portanto, devemos tomar muito cuidado com o que almejamos. A liderança é sempre uma posição de destaque, e acaba nos aproximando muitas vezes do orgulho e do sentimento de auto-suficiência. Ela sobe à cabeça rapidamente e leva o homem ao abismo da soberba de maneira inesperada.
Fomos chamados para sermos servos na obra do Senhor, e o que Ele espera de nós é obediência, assim como Jesus demonstrou. A liderança não deve ocorrer por que “eu me preparei”, mas porque “eu obedeci ao chamado de Deus para servir”. Ninguém pode se preparar para uma liderança na obra de Deus, pois na obra dEle só existe um líder, que é Ele mesmo, e todo o resto é servo!
Um grande exemplo para nós pode ser encontrado em Moisés. Ele liderou o povo de Israel, não porque tenha se preparado para isso, mas porque, acima de tudo, se colocou diante de Deus como servo, e o Senhor o colocou por cabeça do povo. Ainda que ele tenha liderado mais de 2 milhões de pessoas por muitos e muitos anos, Deus deu um único título a Moisés, ao se referir a ele no diálogo com Josué: Moisés, meu servo, é morto [...] (Josué 1.2).
Que o sentimento verdadeiro de servo esteja em mim, em você e em cada um dos cristãos espalhados pelo mundo, para que sirvamos e nada mais! Amém!